A importância da Arte e da Cultura

Estamos vivendo um momento importante, na Arte/Cultura, em nosso Sul das Gerais. Serra da Mantiqueira é o nome dela, a nossa Natureza. Uma das inspirações para a criação. Tudo, tudo. O momento, a Web, o avanço político-social. Tudo, tudo é legal. Ops, digo, quase tudo. A corrupção, a pobreza, tanto intelectual quanto material, o preconceito, a aculturação, não são legais, não são bons. Mas, dentre as Artes, a Música é necessária e fundamental, ao nosso ver, para todos os seres do Planeta. Além de que, todas as Artes, a Cultura, são pilares da vida e, não apenas, necessárias.

Uma certa efervescência musical, vem ocorrendo, em nossa região e, quiçá, em outras regiões de Minas e do Brasil. Especificamente, com relação à Música Instrumental Brasileira, o Jazz e o Blues, como, também, o Rock’n  Roll,  a MPB, a Música de Raiz mineira e, outros gêneros musicais, parece-me estar ocorrendo um processo de surgimento, formação, cada vez maior, de músicos, bandas, etc., como, também, num maior ‘volume’ de apresentações, shows e procura, de jovens e crianças, pela música. A chamada Lei Rouanet, de Incentivo Cultural, do Ministério da Cultura, veio num bom momento para o país, pois, após o ‘patrocínio’ (mesmo que parcial) do governo, atividades artísticas, diversas, aumentaram, frequentemente, em todos os Estados do país. E, o trabalho desempenhado pela Educação, principalmente no Ensino Fundamental e Médio, corrobora demais para o incentivo e o estímulo do aumento do número de crianças, adolescentes e jovens, pelo conhecimento e o aprendizado, das Artes, em geral. Apesar de que, nesta questão, ainda existe pouco incentivo ao Ensino da Arte, na Rede de Ensino Público, em vários Estados do País (inclusive, no de São Paulo ).         
     
O volume de apresentações, exibições, exposições, de filmes, peças, concertos, shows, etc., dos diversos ramos artísticos, nos últimos anos, também aumentou significativamente, em todos os cantos do Brasil. Projetos do Governo Federal, como os Pontos de Cultura, implantados na gestão de Gilberto Gil, durante o Governo Lula, no Ministério da Cultura, em diversas cidades do País, são um exemplo desta ‘efervescência’ cultural. O Cinema, o Teatro, a Literatura, seguem o mesmo caminho. E, na Música, nós, aqui de Minas temos uma História marcante. O Clube da Esquina, de Milton Nascimento, Fernando Brant e outros, é um dos tantos exemplos desta História. Aqui, também, como em outros Estados, a chamada Música de Raiz, uma tradução poética musical da cultura mineira, apresenta um trabalho de significância, também, para a Música Brasileira.

A Filosofia, Política, História, Sociologia, principalmente, estão ‘emaranhados’, co-relacionados à Arte/Cultura. Todos os modos, as seitas, religiões e modelos sócio-político-econômicos existentes, no Mundo, são ‘alimentados’, permeados(as), pela Cultura/Arte. Pensadores/Filósofos como Martin Heideger,  Michel Focault, Adorno, Walter Benjamin, J. P. Sartre e, mais reccentemente, Pierre Bordieux ),  ajudaram a determinar, traçar as relações, entre Cultura e Sociedade, Arte e Política. Um exemplo bem recente, relacionado a tudo isto,  foi a discussão, o ‘embate’, entre o Crítico de Arte e Filósofo Roberto Schwartz, da USP, e o Cantor e Compositor Caetano Veloso (“Caderno Ilustríssima”, do jornal Folha de São Paulo, de 15 e 22/04/2012). Ali, evidencia-se, claramente, a relação entre música/filosofia/ideologia/política. 
A produção artística e a cultura, como um todo,  devem, ao nosso ver, contribuir para o processo de transformação da sociedade, porém sendo respeitados, por qualquer governo e/ou ideologia,  de qualquer país, os diversos processo de livre criação e manifestação artísticas.

Bom, finalizamos dizendo que o importante é participarmos, através da Cultura e da Arte, de um processo que leve-nos a sentir prazer, emoção, conhecimento, crescimento intelectual, amor e paz. Nada, nem um pouco, estático, aculturado, insensível, alienado, despolitizado.    

_______________________________________
Texto por: Tadeu Braga.
Pouso Alegre, 22 de Maio de 2012.


1 Comentário

Postar um comentário